Dark background with blue code overlay
Blog

Combata a pirataria com o Akamai Managed Content Protection

Harish Menon

Written by

Harish Menon

January 26, 2022

piracy.png

"Você não roubaria um carro. Você não roubaria uma bolsa. Você não roubaria uma televisão. Você não roubaria um filme. Baixar filmes pirateados é roubar." Os frequentadores de cinema no início dos anos 2000 devem se lembrar do PSA que advertia contra o download de conteúdo pirata.

Embora difundida, a quantidade de materiais pirateados nesses anos não se aproxima do que a indústria do entretenimento está vendo agora, sem mencionar a pirataria nos setores de música, editoração, software e mais. A Akamai tornou uma prioridade pesquisar extensivamente as superfícies de ataque e o conteúdo visado por piratas de conteúdo, e essas informações estão detalhadas no lançamento de hoje do relatório State of the Internet/Segurança, “Piratas à vista.” 

Proteja melhor o IP e reduza os riscos de segurança

Muitas dessas tendências e nossa pesquisa contínua nos tornaram extremamente conscientes da necessidade de ajudar nossos clientes a proteger seu conteúdo contra piratas. Isso nos levou a desenvolver o serviço MCP (Managed Content Protection, proteção de conteúdo gerenciado) da Akamai, uma oferta para que os clientes protejam melhor sua propriedade intelectual (IP) e reduzam os riscos de segurança da pirataria. Para entender como essa oferta pode proteger as empresas e seus clientes, primeiro precisamos entender o cenário geral de pirataria

O mito do "crime sem vítimas"

A pirataria tem sido comumente descrita como um "crime sem vítimas", mas isso está longe de ser verdade. A economia dos EUA perde, em média, US$ 29 bilhões por ano devido à pirataria global, de acordo com o Centro de Inovação Global da Câmara de Comércio dos EUA. As indústrias da televisão e do cinema, que estão entre as mais pirateadas, estimulam 2,5 milhões de empregos somente nos EUA. A pirataria reivindica vítimas em receita e meios de subsistência, e o cenário está se expandindo.

A pesquisa no mais recente relatório State of the Internet/Segurança da Akamai descobriu que a demanda global por pirataria (medida por visitas a websites que oferecem acesso a filmes e programas de televisão, diretamente por meio de um navegador ou aplicação móvel, bem como downloads por meio do torrent), atingiu 3,7 bilhões de streams e downloads não licenciados entre janeiro e setembro de 2021. Além disso, 61,5% dos consumidores que piratearam material acessaram o conteúdo diretamente, enquanto 28,6% pesquisaram ativamente por eles. 

Onde mais observamos a pirataria? 

A televisão é a indústria mais pirata, e o streaming tornou mais fácil para os piratas fornecerem ilegalmente acesso a conteúdo de alta qualidade. Além de tornar os clientes pagantes insatisfeitos e das implicações legais para os provedores de conteúdo, a pirataria também expõe os consumidores a conteúdo mal-intencionado, que varia de phishing, malware e explorações, a botnets, ataques de ransomware e roubo de identidade. Nossos engenheiros descobriram que mais de 90% dos websites de streaming ilícitos detectados pelo nosso serviço MCP continham esse tipo de conteúdo, representando uma ameaça real para os usuários e provedores de streaming.

Ao mesmo tempo, os eventos ao vivo são particularmente vulneráveis à pirataria devido à alta demanda e ao valor em tempo real da sintonia (por exemplo, ninguém quer perder o resultado de um grande evento esportivo).

Formas predominantes de pirataria

De acordo com nossa experiência, as formas mais comuns de pirataria incluem:

  • Compartilhamento de link e coleta de token: As aplicações móveis e de desktop monetizarão eventos pirateados com seus próprios anúncios e os acessarão por meio de tokens de acesso comprometidos ou reciclados.

  • Cópia e retransmissão de streaming: Os piratas transmitirão eventos por meio de canais sociais públicos, como Twitch, YouTube e Facebook. Isso acontece apesar do DRM (gerenciamento de direitos digitais)/criptografia e tokenização.

  • VPN/proxy: Piratas e usuários ignorarão restrições geográficas para acessar conteúdo.

Alcançar uma conscientização total

Para ajudar as empresas a lidar com a crescente maré de pirataria, nós idealizamos nosso serviço MCP como uma primeira linha de defesa para provedores de transmissão como parte de nosso BOCC (Centro de Comando de Operações de Transmissão).

O MCP foi criado para impedir a pirataria antes que ela tenha a chance de causar um impactos, dando à Akamai uma capacidade exclusiva de identificar e mitigar a pirataria da camada de transmissão em tempo quase real. O serviço é versátil, pois pode ser executado em um modo automatizado ou com supervisão humana. Como ele complementa os serviços existentes em um fluxo de trabalho de mídia, ele pode entregar resultados baseados em entradas externas ou fornecer inteligência para ser conectada a outras ferramentas e serviços, tudo isso enquanto coleta inteligência sobre tentativas de pirataria em longos períodos. 

Combinados, esses elementos permitem que as organizações capturem, aprendam e se adaptem a ameaças de pirataria para que possam entender melhor onde os piratas estão explorando seus serviços e os interrompam proativamente em seus caminhos.

Combater as ameaças de pirataria com o MCP

O MCP permite que as organizações combatam melhor as ameaças de pirataria por meio de quatro componentes principais: 

  • Monitoramento: O componente de monitoramento identifica regiões que atendem ao tráfego e fornece conhecimento situacional em tempo real do fluxo de trabalho e do ecossistema de streaming.

  • Detecção automática: O MCP emite impressões digitais atípicas a partir da edge, avalia as ameaças automaticamente e fornece recursos de "pontuação de nível de confiança" por meio de um aprendizado detalhado.

  • Análise em tempo real: Os clientes que usam o serviço MCP podem esperar uma análise programática de L7 das solicitações recebidas em tempo real, juntamente com o conhecimento de domínio de serviço gerenciado e os recursos de monitoramento, que dão suporte aos especialistas em pirataria e transmissão no BOCC.

  • Mitigação rápida: Mitigação condicional e baseada em regras para violações em segundos após a ativação, complementando as camadas existentes de proteção da Akamai e do cliente para expandir a central de proteção.

Promover uma visualização legítima

Além dos recursos técnicos, o MCP também oferece a oportunidade de converter usuários de websites de pirataria em assinantes pagantes. Encerrar o acesso não autorizado em tempo quase real leva os espetadores potenciais de conteúdo pirata a buscar meios de acesso legais, levando a consumidores mais felizes e seguros. Além disso, a inteligência comercial coletada pelo serviço pode ajudar as organizações a entender os padrões de consumo para identificar melhor as estratégias de conteúdo corretas.

Como revela o relatório "Piratas à vista", a pirataria está mais difundida do que nunca e as técnicas e tecnologias que os piratas empregam estão em constante evolução. As organizações também devem evoluir com elas estarem atentas ao uso de soluções que bloqueiem a pirataria e protejam seu IP. O Managed Content Protection (proteção de conteúdo gerenciado) fornece essa capacidade para os clientes da Akamai, e estamos melhorando continuamente a oferta para prepará-los para os desafios de pirataria em evolução que estão por vir.

Saiba mais

Saiba mais sobre o suporte da Akamai para streams de vídeo OTT por meio do Centro de comando de operações de transmissão da Akamai e do relatório State of the Internet/Segurança.



Harish Menon

Written by

Harish Menon

January 26, 2022